Acesse informações atualizadas sobre os serviços públicos da rede de proteção às mulheres, disponíveis durante a quarentena.
E mais: conheça os canais de denúncia e os principais protocolos de segurança.








Durante a quarentena, procurar ajuda ficou mais difícil, afinal, os serviços públicos de enfrentamento à violência contra as mulheres tiveram que se adaptar ao novo contexto. Ao mesmo tempo, a cada dia que passa vemos o aumento dos casos de violência.

Diante disso e com o objetivo de dar uma resposta ágil para as mulheres o Mapa do Acolhimento lançou o #TôComElas: uma mobilização nacional que reuniu voluntárias de todo o Brasil para atualizar as informações dos serviços públicos de proteção às mulheres. O resultado, você encontra abaixo:



Esse mapeamento foi feito de forma colaborativa e voluntária e precisamos da sua ajuda para deixar ele ainda mais completo. Se você conhece algum local de atendimento às mulheres que não está mapeado preencha esse formulário.




Graças à leis como a Maria da Penha (Lei 11.340/2006), todas as mulheres do Brasil têm o direito de acessar uma rede de serviços públicos de atendimento e enfrentamento à violência contra as mulheres que são compostas pelas instituições da Segurança Pública, Justiça, Saúde, Assistência Social, Educação, dentre outras. Infelizmente, nem todas sabem que eles existem ou como funcionam. Abaixo você encontra os principais serviços que compõem cada uma dessas redes:































Se você chegou até aqui com alguma dúvida, entre em contato com
a gente pelo e-mail: contato@mapadoacolhimento.org.

Vamos receber a sua mensagem com muito carinho! <3